Quem somos
Fachada Canaoeste

A Canaoeste (Associação dos Plantadores de Cana do Oeste do Estado de São Paulo) visa defender os direitos e interesses dos produtores de cana junto às indústrias e ao governo, através de representação e serviços de excelência ao associado. 

 

Objetivos Sociais da Canaoeste:

  • Congregar os plantadores de cana-de-açúcar da região;
  • Defender os direitos e os interesses de seus associados junto às unidades industriais e outros órgãos;
  • Representar a classe em qualquer esfera administrativa ou judicial;
  • Manter relações de cooperação e articulação com as demais associações congêneres;
  • Ministrar ensinamentos técnicos aos seus associados;
  • Facilitar a obtenção e benefícios concedidos pelos poderes públicos;
  • Manter instalada a sede social na cidade de Sertãozinho;
  • Manter organizada uma Biblioteca em sua sede social,
  • Promover tudo o mais que necessário for às finalidade da sociedade.

 

Razão social: Associação dos Plantadores de Cana do Oeste do Estado de São Paulo.
Data de fundação: 22 de julho de 1945
Ramo: Associação Privada
Inscrição no CNPJ/MF da Matriz: 71.324.453/0001-11
Inscrição Municipal: 105.893
Registro inicial no cartório de registro de pessoa jurídica de Sertãozinho: Livro ”A” pág. 22, sob o nº 34, em 22 de Agosto de 1958
Registro atual no cartório de registro de pessoa jurídica de Sertãozinho: Registro 4814 – Lva – Microfilme 7425, em 22 de março de 2016

Diretoria
Manoel Carlos de Azevedo Ortolan
Manoel Carlos de Azevedo Ortolan

Presidente (In memoriam)

Fernando dos Reis Filho
Fernando dos Reis Filho

Presidente

Augusto César Strini Paixão
Augusto César Strini Paixão

1º Secretário

Marcelo de Felício
Marcelo de Felício

2º Secretário

Francisco César Urenha
Francisco César Urenha

1º Tesoureiro

João Nilson Magro
João Nilson Magro

2º Tesoureiro

Paulo Paulista Leite Silva Júnior
Paulo Paulista Leite Silva Júnior

Diretor Adjunto

Paulo Cesar Canesin
Paulo Cesar Canesin

Conselho Fiscal

Otavio de Freitas Tavares
Otavio de Freitas Tavares

Conselho Fiscal

Roberto Costa Rossetti
Roberto Costa Rossetti

Conselho Fiscal

Silvio Lovato
Silvio Lovato

Conselho Suplente

Daniel Annibal
Daniel Annibal

Conselho Suplente

Paulo José Bis Meloni
Paulo José Bis Meloni

Conselho Suplente

História

A partir da iniciativa corajosa e espírito de união de um grupo de produtores de cana-de-açúcar que necessitavam de uma organização capaz de defender seus direitos e interesses junto às indústrias e ao governo, no dia 22 de julho de 1945 foi fundada a Canaoeste (Associação dos Plantadores de Cana do oeste do Estado de São Paulo).

Desde sua fundação, a Canaoeste sempre foi administrada com seriedade e respeito aos produtores rurais brasileiros. Sua área de atuação abrange quase 100 municípios do interior do Estado de São Paulo, distribuídos em 12 escritórios regionais. Na safra 2017/2018, os associados da Canaoeste cultivaram cerca de 130 mil hectares e foram responsáveis pela entrega de aproximadamente 9 milhões de toneladas de cana-de-açúcar.

Ao longo dos anos, a Canaoeste se firmou como órgão representativo da classe dos fornecedores de cana, reestruturando-se e amoldando-se na sua finalidade social básica de prestar e levar assistência de altíssima qualidade aos seus associados.

Acompanhe, na linha do tempo, a evolução da associação:

1944

A lavoura da cana teve extraordinário crescimento na cidade. Com o objetivo de melhorar suas condições de vida, alguns produtores rurais começavam a se organizar para adquirir forças e conquistar seus direitos.

1945

Um grupo de 20 fornecedores de cana-de-açúcar inauguravam a CANAOESTE em Sertãozinho, uma entidade do setor canavieiro nomeada Associação dos Fornecedores e Lavradores de Cana de Sertãozinho.

1951

A Associação adquiriu oficialmente, em 10 de dezembro de 1951, sua personalidade jurídica por determinação do Juiz da Comarca, Dr. João Estevam de Siqueira Júnior.

1953

Em Assembleia na data de 10 de maio de 1953, sob a presidência de Eugênio Mazzer, a Associação teve alterada sua razão social para Associação Regional dos Fornecedores e Lavradores de Cana, ampliando sua área de atuação.

1955

Iniciaram as atividades do Hospital dos Fornecedores, como era conhecido e que passou a chamar-se Hospital Netto Campello, em homenagem ao ex-presidente do Instituto do Açúcar e do Álcool, tendo como primeiro diretor clínico o conceituado médico Dr. Olidair Ambrósio.

1956

O predomínio da cana-de-açúcar na cidade de Sertãozinho já era intenso. A cultura representava 49,3% da área cultivada. A indústria açucareira era a mais importante da cidade e, em 1956, foi responsável pela produção de 614.842 sacas de açúcar e 2.832.460 litros de álcool.

1959

A diretoria comprou um terreno na Rua Dr. Pio Dufles, que na época pertencia a Igreja Matriz. No local, seria construída a sede da Associação. O terreno media 74,5 metros de frente por 88 metros de fundo e foi comprado por CR$ 750,000 (Setecentos e cinquenta mil cruzeiros).

1968

Em meio a uma grave crise do setor iniciada em 1964, a CANAOESTE passou a ser presidida pelo líder associativista o saudoso Fernandes dos Reis, cargo que ocupou até a sua morte em 25 de fevereiro de 1999.

1969

A CANAOESTE muito contribuiu para a fundação da COCRED, em 1969, que teve por finalidade assegurar os recursos gerados pela cana nesta região e que foram importantes para o fomento da lavoura em razão dos financiamentos para custeio e investimento no setor.

1972

O presidente da Canaoeste, Fernandes dos Reis, falou pela primeira vez sobre sua ideia de constituir uma biblioteca que seria utilizada por todos os associados e famílias, e também por estudantes de Sertãozinho e região. Em 14 de dezembro de 1.972 foi inaugurada a Biblioteca da Canaoeste que recebeu o nome do presidente do IAA da época, “General Álvaro Tavares Carmo”.

1984

A Canaoeste, ao lado dos seus fornecedores, atuou de forma positiva nas reivindicações de pagamento de cana junto às usinas. Nessa época fornecedores protestaram nas entradas de usinas da região de Sertãozinho, bloqueando-as. Os fornecedores pediam para que fosse cumprida a determinação do I.A.A. no pagamento das canas. As usinas resistiam e não cumpriam os valores e nem prazos determinados pelo IAA. Várias medidas foram adotadas pela Canaoeste junto ao IAA para que encontrassem uma solução.

1987

A pedido do então presidente Fernandes dos Reis, o engenheiro agrônomo (na época assessor técnico da Canaoeste), Manoel Carlos de Azevedo Ortolan falou sobre a forma como era desempenhado o trabalho de acompanhamento e fiscalização do sistema de apuração dos resultados tecnológicos dos ágios e deságios do teor de sacarose e pureza, tanto em nível regional da Associação, quanto em nível Estadual.

1988

A Canaoeste participou das comissões do teor de sacarose em nível nacional e estadual e mais tarde viria também a participar do Sistema Consecana, tendo membro na sua diretoria e na Canatec e sempre se esmerou no incentivo à pesquisa depois do governo parar de investir nessa área, tanto que sempre contribuiu com a UFSCAR, IAC e CTC (antigo Copersucar), buscando variedades mais produtivas e resistentes.

1990

Em reunião de 12 de fevereiro de 1990, Fernandes dos Reis comenta a defasagem do preço da cana em relação ao custo: 22% segundo estudo da Fundação Getúlio Vargas. A Canaoeste foi primordial em conversas com autoridades e com o governo para que essa defasagem fosse corrigida. Em 16 de março do mesmo ano os fornecedores haviam conseguido mais uma vitória: o reajuste foi de 32,1%. O ano seguiu com dificuldade mas todas as reivindicações dos fornecedores em relação à defasagem custo x preço foram atendidas.

1993

O governo federal, através do IAA – Planalsucar, desenvolvia pesquisas de melhoramento genético da cana-de-açúcar mas, com a extinção deste órgão todo o centro de pesquisas passou para a UFSCAR (Universidade Federal de São Carlos). Assim, começaram os investimentos na área de melhoramento genético da cana-de-açúcar e até hoje, a Canaoeste investe e é parceira de três programas de pesquisas: UFSCAR, CTC e IAC.

1998

Depois da transformação da taxa de recolhimento de cana que era compulsória e passou a ser facultativa, a direção dos trabalhos da Canaoeste precisou mudar. O objetivo da Associação agora era mostrar a importância de manter os produtores rurais unidos para garantir representação política, institucional e no Consecana. A Associação também tinha de continuar a evoluir na prestação de serviços.

1999

Todo o setor sentiu a morte do saudoso Fernandes dos Reis, no dia 25 de fevereiro de 1999. “Nunca deixo de enaltecer o trabalho e a luta do eterno líder Fernandes dos Reis em defesa da classe dos fornecedores de cana-de-açúcar bem como a sua valorosa contribuição dada ao cooperativismo e ao associativismo durante os mais de 30 anos de exercício como presidente desta Associação”, relatou Pedro Canesin Filho. A diretoria da Canaoeste aprovou junto aos associados a filiação da Associação à Orplana (Organização dos Plantadores de Cana da Região Centro-Sul do Brasil).

2012

A Biblioteca foi reinaugurada 23 de abril, em um local mais amplo, com melhor estrutura, atendimento para a toda a comunidade de toda a região.

2015

A Canaoeste passa por uma reestruturação interna. Se reinventa e amplia os horizontes com foco em tecnologia.

2017

A Canaoeste foi a primeira Associação a realizar a construção do mosaico, constando praticamente todas as áreas de associados, utilizando informações do CAR (Cadastro Ambiental Rural).

2018

Em parceria com uma start up brasileira, a Canaoeste lança o Monitoramento de Lavoura Via Satélite 24h. Uma ferramenta que é capaz de detectar focos de incêndio em poucos minutos. Essa parceria chegou em um bom momento, visto que em 2018 foi um ano seco e com alta incidência de incêndios nas lavouras canavieirias.